O TROFÉU OSMAR SANTOS É TRICOLOR

21 AGO 2018
21 de Agosto de 2018

 

Por: Vitor Nagae

 

Em um agradável início de noite de Domingo, o São Paulo joga o suficiente, faz 2 a 0 na Chapecoense e conquista pela terceira vez o simbólico título do primeiro turno.

Osmar Santos, pai da matéria, maior locutor que esse país já teve, um cara que dispensa maiores apresentações ou comentários, para os mais novos saberem, muito daquilo que você ouve nas transmissões de futebol pelo rádio, quem deu início foi Osmar.

Narrador icônico cheio de bordões que marcaram época, trazia a emoção ao torcedor, muito do que sei sobre narração esportiva, aprendi com o mestre. O nome do simbólico troféu do primeiro turno não poderia ser melhor, Troféu Osmar Santos.

São Paulo recebeu a Chapecoense com um time bastante alterado, devido ao número de jogos, desgaste físico dos atletas e idade do elenco, Diego Aguirre resolve poupar Reinaldo, Nenê, Rojas, Hudson e Anderson Martins para o jogo.

Chape teve alguns reforços em relação ao jogo da Copa do Brasil contra o Corinthians e o principal deles era o meia Diego Torres, o chileno que estreou bem na vitória sobre o mesmo Corinthians pelo Brasileiro, estava de volta depois de não poder atuar pela Copa, devida a falta de inscrição.

Pimba da Gorduchinha e o São Paulo buscava o Troféu Osmar Santos. Depois da derrota do Flamengo e vitória do Inter mais cedo, o Tricolor só precisava empatar diante dos 41mil pagantes no Morumbi para levar o simbólico troféu, porém o São Paulo queria mais, queria manter a distância para o Colorado.

Tricolor buscava a vitória para manter a boa fase, desde a volta da Copa eram 5 vitórias em 6 jogos. Shaylon no lugar do Nenê e Edimar no lugar de Reinaldo eram as substituições mais questionadas pela torcida são paulina e estes logo cedo deram uma resposta.

Chapecoense veio ao Morumbi se defender, lutando para não cair a equipe de Guto Ferreira com dois volantes de contenção e meias rápidos pelos lados, tentava se fechar e sair rápido no contra-ataque, mas logo no começo do jogo, tudo mudou.

Aos 2min Shaylon da ponta direita cruza, Diego Souza escora para Everton, a atacante tabela com Edimar que vai ao fundo e cruza rasteiro para tiruliruli tirulilula, Shaylon entrar e só tocar para o gol vazio de Jandrei, exploooooode o Morumbi, vibra o torcedor Tricolor, 1 a 0 e o São Paulo volta a liderança do Brasileirão.

O garotinho Shaylon estava endiabrado, foi o animal do primeiro tempo, substituía muito bem Nenê controlando o meio e chegando na frente, aos 12mIn o menino de Cotia apareceu na entrada da área, driblou os zagueiros, mas bateu fraco para fora.

Chape tentou fazer a marcação pressão e atrapalhou a saída dos donos da casa, mas o time catarinense não criava nenhuma situação de perigo para o gol de Sidão. O São Paulo não conseguia fazer o contra-ataque, nenhum dos Evertons conseguia dar velocidade e o jogo ficou no meio campo.

Ambos os times levaram perigo com seus centroavantes, mas ambos foram flagrados no impedimento, primeiro Diego Souza que exigiu boa defesa de Jandrei e depois Wellington Paulista que, de dentro da área, chutou por cima do gol de Sidão.

A única chance da Chapecoense no primeiro tempo veio aos 39min, quando Eduardo lança da intermediária para Canteros que, dentro da área, escora para Wellington Paulista pegar de voleio e a bola saiu tirando tinta da trave esquerda de Sidão.

Nenhum time fez alterações no intervalo e a Chape começou a segunda etapa com uma proposta mais ofensiva, fazendo uma Blitz no campo do Tricolor, mas só levou perigo efetivo em uma jogada de Canteros que de letra serviu Diego Torres bater travado por Arboleda na área.

Quem levou perigo mesmo foi o São Paulo, logo depois da entrada de Hudson e Rojas, o atacante deu um drible da vaca longo, ganhou a ponta e cruzou, o zagueiro Rafael Thyere foi cortar e quase colocou contra Jandrei se recuperou e conseguiu pegar a bola em cima da linha.

O jogo permanecia com o Chapecoense com a bola rondando a área Tricolor e o São Paulo tentando encaixar o contra-ataque mortal, o qual conseguiu aos 37min. Nenê rouba a bola no meio-campo, toca para Hudson que acelera e deixa com Rojas, livre na entrada da área, o atacante dá um lindo passe para Hudson que, de primeira, manda no ângulo de Jandrei, o goleiro da Chape nem viu, explode mais uma vez a torcida Tricolor, 2 a 0 e o título do primeiro turno estava sacramentado.

Depois do gol hoje não teve mais nenhuma emoção e ambas as equipes só esperaram o apito final.

Nosso Tricolor vence o primeiro turno com um futebol não vistoso, mas consistente, que mesmo com peças diferentes, funciona muito bem e agora tem uma ótima estatística em seu favor, em 15 campeonatos de pontos corridos, somente 3 campeões do primeiro turno não venceram o campeonato.

São Paulo volta a campo na Vila Capanema em Curitiba contra o Paraná pela 20a Rodada do Brasileirão, na quarta 22/08 as 19h30, jogo com transmissão da Web Rádio TRICOLORFC.

Chapecoense recebe na Arena Conda, o Atlético Paranaense pela 20a Rodada do Brasileirão, na quarta 22/08 as 19h30

Destaques

Shaylon – Nome do jogo no primeiro tempo, armou bem o time e foi presente na área para finalizar tanto que fez o gol.

Edimar – Jogador muito criticado pela torcida, deu assistência e não comprometeu na defesa, jogo seguro, aliás desde que Aguirre assumiu ele não vem comprometendo.

Everton Felipe – Em sua estreia como titular não foi bem, deixou o lado direito vazio, não deu profundidade necessária e não armou o time, precisa melhorar.

Jucilei – Jogou como sempre, desarmando os meias catarinenses, não deu espaço para Canteros e Bruno Silva jogarem, foi discreto no apoio.

Hudson e Rojas – Entraram e deram uma nova cara para o time na segunda etapa, tanto que fizeram a jogada do segundo gol.

Eduardo – O lateral direito marcou bem Everton e foi um perigo constante no ataque, seus companheiros não conseguiam dar sequência em suas jogadas

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 0 CHAPECOENSE

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 17 de agosto de 2018, domingo

Horário: 19h (de Brasília)

Árbitro: Rafael Traci (PR)

Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)

Público: 41.075 presentes

Renda: R$ 1.348.936,00

Cartões amarelos: Bruno Alves, Hudson (São Paulo)

Gols:

SÃO PAULO: Shaylon, aos três minutos do primeiro, e Hudson, aos 38 minutos do segundo tempo

São Paulo: Sidão; Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Edimar; Jucilei, Liziero

(Hudson) e Shaylon (Nenê); Éverton, Diego Souza e Éverton Felipe (Rojas)

Técnico: Diego Aguirre

Chapecoense: Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Alan Ruschel; Márcio Araújo, Amaral (Osman), Canteros e Diego Torres (Yann Rolim); Bruno Silva (Leandro Pereira) e

Wellington Paulista

Técnico: Guto Ferreira

 

By: Vitor Nagae - @vitor_mais1 - @webtricolorfc – App Tricolorfc – 21.08.18
Voltar