OBRIGADO (por nada) FIFA

28 OUT 2017
28 de Outubro de 2017

 

 

Por: Pedro Paim

 

Em reunião que aconteceu nessa sexta feira dia 27 de outubro de 2017, na Índia, dirigentes da FIFA reconheceram os títulos Mundiais, de Santos (1962/1963), Flamengo (1981), Grêmio (1983) e São Paulo (1992/1993) disputados em jogos de ida e volta ou em jogo único, pela Copa Intercontinental, torneio disputado entre os anos de 1960 a 2004 pelo campeão da Libertadores e o campeão da Champions League. Em 2005 a entidade passou a organizar o torneio que veio a se chamar "Mundial de Clubes da FIFA".

 

As conquistas do São Paulo dos títulos da Copa Libertadores e Copa Toyota Intercontinental de 1992 e 1993, fez com que despertasse o interesse e chamasse a atenção dos demais clubes brasileiros; esses títulos passaram a ser obsessão. Todos, impreterivelmente, sonhavam ganhar a Libertadores e ir a Tóquio disputar o título que traria o "status" de melhor time de futebol do Planeta. 

 

Ainda criança vi nascer em 1991 um esquadrão, que era uma verdadeira máquina de jogar futebol, vi o São Paulo ganhar neste ano um Campeonato Paulista e um Campeonato Brasileiro, este que lhe deu a vaga para a Copa Libertadores de 1992.

 

Em 1992 após a primeira conquista de Libertadores, vi um São Paulo, até então sem tanto prestigio internacional, chegar a Tóquio para enfrentar o poderoso e favorito Barcelona de Zubizarreta, Koeman, Guardiola, Stoichkov, entre outros craques. Foi um dos jogos mais técnicos que pude assistir o São Paulo jogar. Com uma virada histórica ganhamos por 2 a 1 com um golaço de falta de Raí, no segundo tempo. Lembro-me como hoje ele correndo em direção ao banco de reservas para abraçar os companheiros e o sorriso inesquecível de Telê Santana.

 

Retornarmos a Tóquio em 1993 após novo triunfo na Copa Libertadores dessa vez já conhecido, porém não menos desacreditado e para enfrentar novamente uma equipe tida como favorita, o então temido Milan. Nesse ano lembro que mesmo que de madrugada era a grande a movimentação nas ruas de torcedores que festejavam, agitava suas bandeiras, o som das buzinas dos carros; e como esquecer o gol "espirita" de Muller no final da partida (?), que decretou o placar final de 3 a 2 São Paulo, e o nosso bicampeonato Mundial.

 

Prezada FIFA agradecemos o seu reconhecimento, mas saiba que com ele ou sem ele o torcedor são paulino sempre se considerou TRI CAMPEÃO mundial. Nada seria capaz de apagar ou invalidar essas lembranças dos títulos mundiais da memória do torcedor são paulino, as comemorações, os gritos de gol, gritos de "é campeão!", os fogos, a recepção, a festa na Paulista. Nada seria FIFA, nem mesmo a sua "canetada" ou a falta dela.

 

Obrigado, por nada!

 

VAMOS SÃO PAULO!

 

By Pedro Paim -  @Pedro_Paim_1935 - @webtricolorfc – App: Tricolorfc – 28.10.17

 

Voltar