FIM DE FESTA NOS ESTADUAIS

04 MAI 2015
04 de Maio de 2015


Por: Ernesto Vidoca

Trezentos mil jogos, muitas semifinais, saldos de gols, cento e cinquenta finais ida e volta, para apontar um único campeão estadual, é claro que esses números são maximizados, mas é para indicar que foram realizadas tantas partidas para dar o óbvio.

De norte a sul do País, alguém por acaso imaginou que o Brasil de Pelotas iria ser campeão gaúcho, ou que o Tombense fosse campeão mineiro, ou ainda, que o Ituano, fosse bi-campeão paulista? No sul, as apostas logicamente se dividiam entre Inter e Grêmio, e esta final era mais provável na cabeça dos torcedores de lá, e qual foi a final? E o Grêmio de Felipão, perdeu para o Inter, a curiosidade é que Diego Aguirre é o primeiro técnico estrangeiro a vencer esse estadual, após 65 anos sendo dirigido por técnicos brasileiros.

Em Santa Catarina, assim como para variar, Joinville e Figueirense, fizeram a final, o JEC com dois empates, sagrou-se campeão, porém, ainda para não fugir ao costume, o título ficou para ser decidido na justiça, e só será homologado, ou não, nesta próxima terça-feira (05.05.15), é assim que se decide títulos na Terra Brasiles.

Já em Curitiba, uma pequena surpresa, o Operário venceu em dois jogos ao Coritiba, por 5 gols nas duas partidas, a nenhum do Coritiba, na verdade, a surpresa é que o time do Operário, venceu o seu primeiro estadual, após 103 anos, isto é, desde a sua fundação, em 1912.

Outra grande novidade, Eurico Miranda assume a presidência do Vasco e meses depois o time da Cruz de Malta, torna-se campeão carioca do ano, toda e qualquer semelhança é mera coincidência.

Em Minas, a Caldense invicta até o último jogo e seu goleiro sem tomar gols há 8 jogos, jogando em casa, contra o Atlético Mineiro, adivinha o que deu? Quem disse Atlético, acertou, mais uma novidade.

Remo no Pará, Bahia em Salvador, Ceará em Fortaleza, Goiás num árduo clássico contra o Aparecidense, conquista mais um título o qual foi surpresa a todos.

Porém, a surpresa maior foi em São Paulo, ah... que dificuldade, foram divididos os quatro grandes em quatro grupos, cada time jogou 15 vezes para saber quem iria aos mata-matas, bem, na verdade, apenas às matas, num único jogo e olhe lá, e a grande novidade, onde é que fica? Classificaram-se para as semis São Paulo, Santos, Palmeiras e Corinthians. Imaginem só, os quatro grandes, que surpresa !!!

O Palmeiras que contratou um verdadeiro batalhão, praticamente dois times, entre eles Zé Roberto, Cleyton Xavier, Dudu, o chapeleiro maluco, e que ainda contava com Valdivia, apenas no elenco, este mega Palmeiras, pegou os peixinhos da praia para brincar, ganharam de 1 x 0 no Allianz-Park, e dando-se ao luxo de perder um pênalti (by Dudu). Indo a Vila Belmiro para a partida final, com a vantagem do empate, contudo, a quantidade perdeu para qualidade e deu Santos, que começou o ano à espera da segunda divisão com um time modesto, do também presidente Modesto Roma Jr., terminou como campeão.

Conclusão: Ou estes falidos estaduais terminam, dando espaço a outras formas de disputas regionais, ou mudam-se radicalmente a formula de disputa destes torneios, caso contrário teremos as mesmas surpresas de sempre, eternamente.

 

Ernesto Vidoca - @dedevidoca - @webtricolorfc – 04.05.2015

 

 

 

Voltar