SÃO PAULO, ACIMA DE TUDO!

17 MAR 2015
17 de Março de 2015

 


Nesta quarta-feira (18 de março), a partida entre São Paulo e San Lorenzo da Argentina, pelo terceiro jogo da fase de grupos da Libertadores de América, alguns chamam esta, como a partida do ano do Tricolor Paulista, achamos um grande exagero por parte da imprensa e alguns torcedores que se dizem entendedores do esporte.

Nosso time jogou 14 partidas até o momento, com 9 vitorias, 2 empates e 3 derrotas, ocorre que estes números frios, não dão a exata proporção do clima em que vive a equipe do Morumbi, conhecida através dos anos, com Time da Catedral, onde os grandes cardeais decidiam, resolviam, implantavam, enfim, tudo era decidido intramuros e a tão tendenciosa imprensa, que já na época, adorava implantar factoides, porém não surtindo tanto efeito negativo na equipe, em virtude de nossos dirigentes, até então, que por sua vez blindavam o clube, nada era exposto e as tentativas de implantação de maldosas especulações que eram rapidamente rechaçadas e tanto a comissão técnica quanto os jogadores, eram plenamente apoiados e protegidos por esses chamados Cardeais do Tricolor, que tinham presumivelmente, o São Paulo como único objetivo, valorizar e engrandecer o Clube que dirigiam.

Nosso time era rotulado de Time da Elite, uma vez que não incorria em erros comuns, escândalos, exposições como acontecia com seus adversários. Por que não podemos voltar a essa época, onde o São Paulo, que ora presidido com ética por Carlos Miguel Aidar, tão bem quanto alguns de seus antecessores que fizeram do time, referência de gestão, como foi Marcelo Portugal Gouvêa, Henri Couri Aidar, Laudo Natel, Fernando Casal Del Rey, José Douglas Dallora, entre outros grandes “Papas do Morumbi”, que faziam com extrema facilidade, o São Paulo grande, dentro e fora do campo, então, mãos à obra Muricy, parte da diretoria e 100% dos jogadores, vamos   voltar a fazer nosso clube, vencedor e maior até mesmo do que já é, tornando esta partida contra o San Lorenzo Del Magro, da Argentina, um marco de uma virada de mesa, para voltarmos a nos orgulhar do clube em todos os aspectos, levando o time até as finais dos grandes torneios que competirá em 2015, e não caracterizar este jogo, como sendo a partida do ano e sim, como o jogo da virada do clube.

 

Ernesto Vidoca - @dedevidoca - @webtricolorfc – 17.03.2015

Voltar