ARMAGEDOM TRICOLOR

06 ABR 2014
06 de Abril de 2014


A eleição no São Paulo Futebol Clube foi tão esperada como se fosse a concretização do Armagedom, a batalha final. Não como no filme onde a luta é contra um asteróide que vem em direção a Terra a fim de exterminar a vida, mas como se fosse a última guerra citada na bíblia, claro que ninguém aqui esta associando nenhum candidato a Deus e muito menos Jesus Cristo.

O Armagedom tem o significado da grande batalha, e isso vimos e acompanhamos no São Paulo F.C. desde quando estávamos naquela fase desgraçada de luta contra o rebaixamento no campeonato Brasileiro de 2013. Começamos a depositar todas as esperanças nas eleições e no novo presidente que estar por vir.

Então o grande dia do armagedom no tricolor chegou, parei e pensei, até onde essa eleição atinge o torcedor do São Paulo que não pode votar e escolher o presidente? Só mesmo os sócios do clube podem nos salvar, e os sócios não são todos torcedores, acabamos nas mãos de pessoas que não têm o menor interesse em ver o time São Paulo F.C. campeão e sim o que é melhor para seu lazer no clube.

Pois bem, o lado positivo foi ver a comoção que mexeu de fato com o torcedor, muitos aderiram à causa do fim do São Paulo Soberano e apostaram no São Paulo Forte. Essa mudança seria a mais aceitável para esse momento pós-decepções. E mesmo sabendo que nem tudo foi decepção, o São Paulo teve no topo, durante a gestão de Juvenal Juvêncio, mas de repente começamos a cair no abismo sem fim, o descrédito do São Paulo atualmente é lamentável.

Juvenal perdeu o controle e implantou uma filosofia de grandeza absoluta, dirigentes também com esse pensamento começaram a afundar o São Paulo de uma maneira vergonhosa e essa decadência política impactou diretamente dentro de campo. Os jogadores foram deixando de lado o amor e o time que deveria ser de todos por um e um por todos, passando a ser um por um.

Não tenho um candidato para a presidência do clube, pois não voto e não posso escolher, estou aqui torcendo pelo time do São Paulo e sempre serei a favor do melhor, a favor de títulos, pois é disto que nossa paixão é movida. O armagedom será o renascimento de um time vencedor? Não sei dizer, estamos na esperança de que o presidente e os dirigentes que adotem uma política da honestidade, se bem que a palavra honestidade não combina em nada com qualquer coisa relacionada à política. Mas que os eleitos cuidem do São Paulo como se fosse suas famílias.

Termino com o meu apelo ao nosso futuro presidente, que faça do São Paulo Futebol Clube o campeão dos campeões novamente, honre a camisa como se fosse a sua pátria amada, e seja no mínimo transparente com os torcedores de verdade, embora não sejamos de seu principal interesse, muitos de nós ainda somos conhecedores da política dentro do clube e podemos fazer muito em conjunto.

Maria Silva - @masobasi – 06.04.2014

 

Voltar